E no fim das contas o que é ser feminina?

“Pergunte ao primeiro homem que estiver na sua frente, o que você mais gosta em uma mulher? Uns vão responder seios, mas nem todos olham pros nossos peitos, alguns gostam de sentir nosso cheiro”

Por Bárbara Freitas

E no fim das contas o que é ser feminina? Juro que tenho 26 anos e ainda não descobri isso. Sei que pra ser feminina não posso mijar, tenho que fazer xixi. Mesmo amando usar vestido pra eu realmente ser mulher tenho que usar batom, detestando. Nossa! Muita coisa! Tem que usar perfume suave, falar baixo, ficar com o cabelo escovado 24 horas por dia e sorrir que nem miss. Quando estiver com o peguete, namorado, ficante, como quiser chamar, em uma simples lanchonete a gente tem de ser feminina na hora de pagar a conta, por que? Porque nunca sabemos se é pra rachar a conta ou ficar meiguinha. Em off, eu odeio rachar, sou machista pra isso.

mulheres-no-bar-blog-caren-sales

Próximo passo, mulher nunca, nunca mesmo pode deixar o quarto bagunçado, beber cerveja e comer torresmo vendo um jogo de futebol com as amigas em um bar. Isso é coisa de botinha, não de mocinha. Jamais saia sozinha por querer estar sozinha,chegar aos 30 anos sem um namorado ou marido é ser solteira convicta, ficou pra titia ou tem algo pior por traz. Ao caminhar toda mulher tem que ser sensual, aliás tem que desfilar. Enquanto isso homem pode andar na rua que nem um brucutu e chegar em casa com um cheiro péssimo depois da pelada com os amigos.

Mas a mulher? Esta tem de ser uma Deusa, sempre maquiada, disposta, romântica, educada. Pergunte ao primeiro homem que estiver na sua frente, o que você mais gosta em uma mulher? Uns vão responder seios, mas nem todos olham pros nossos peitos, alguns gostam de sentir nosso cheiro. Mas, convivam com eles, os homens acham não feminino o processo de depilação, hidratação do cabelo, fazer a unha ou ver nossas calcinhas no varal penduradas pra secar. Ainda tem uns, tadinhos, que acham que todas as mulheres do mundo devem usam fio-dental. Coisa ridícula!

mulheres-acordando

Conclusão? A maioria de nós nunca será feminina… Acordamos mal humoradas e com bafinho, usamos calcinhas grandes,fumamos, tomamos porre e a maquiagem conseqüentemente irá borrar e sim, nem todas temos os padrões de beleza determinados por eles. É… Para tristeza dos homens machões, nós gostamos de homens inteligentes, aqueles que gostam de ler, conversar e tomar um bom vinho!

Anúncios

Como se comportar

As olimpíadas começaram. Londres mostrando todo seu glamour. Realeza britânica causando inveja em todos nós. Todo mundo procurando um príncipe pra chamar de seu…

Mas enquanto o Harry não esbarra com você na rua e se apaixona enlouquecidamente, podemos seguir uma série de dicas pra ter um comportamento digno de uma rainha!

Vou postar aqui algumas regras que o portal Terra listou em uma matéria super bacana, em que entrevistaram vários experts em comportamento pessoal.

Bêbado em festa 
Todo mundo sabe que bêbado é inconveniente, seja por excesso de gentileza, seja por grosseria. Então a dica é estar preparado. “Responda objetivamente o que ele quer saber e evite que vire uma questão pessoal”, diz o consultor Fábio Arruda. “Se for seu amigo, tire-o da festa e ponto”, determina a consultora de etiqueta Célia Leão. A situação é irremediável, não há o que fazer para amenizar o constrangimento. “Se não for seu amigo e a coisa estiver ficando feia, simplesmente ignore e fuja”, conclui Fábio.

 Comentários sobre plástica
“Nossa, como você está magra! Foi lipoaspiração?” Nunca, nunca faça esse tipo de pergunta se quiser continuar viva. A mulher pode ter passado à base de alface e água no último mês para perder quilos e você simplifica o seu esforço com uma lipo? “Comente apenas que ela está ótima e mais bonita. Se a pessoa quiser, vai contar o que fez”, ensina a consultora de etiqueta. “Não faça perguntas sobre plásticas, idade, situação financeira, a menos que tenha muita intimidade”, avisa Fábio. Segundo ele, se a pergunta fatídica já feita e a resposta foi atravessada, você ainda pode ter uma meia-gafe, basta sair do assunto como se nada tivesse acontecido. E da próxima vez, pense antes de falar.

Cabelo na comida
Se estiver jantando na casa de um amigo e achar um fio de cabelo na comida, você avisa discretamente, certo? Errado. “Deixe o cabelo de lado e, se for muito seu amigo, tente comer o restante, afinal é um acidente que pode acontecer na sua casa também”, diz Célia. “Com certeza, o fio de cabelo não fazia parte da receita, então mostrá-lo só vai causar constrangimento ao anfitrião perante seus convidados”, completa Fábio.

Memória fraca
A pessoa o cumprimenta com um forte abraço dizendo o seu nome, e você não tem a mais remota idéia de quem seja. “A melhor saída é falar a verdade antes de começar a conversa. Desculpe-se e diga que não se lembra de seu nome”, recomenda a consultora. Para o consultor, isso é falta de traquejo social. “Se a outra pessoa lembra seu nome provavelmente vocês já foram apresentados e por que você esqueceu o dela? A desculpa de memória péssima para nomes é uma desculpa desgastada, assim como se referir à pessoa como querida ou querido”, aconselha Fábio.

-> Dica do Cayo: minha memória é péssima e eu sempre uso uma técnica que quase nunca falha. Quando acontecem esses momentos, diga “Nossa, quanto tempo! Qual foi a última vez que nos vimos?”. A pessoa falará a data e ficará mais fácil de você relembrar quem é!

 Fura-fila
O que fazer quando algum espertinho entra na sua frente depois de horas esperando na fila? Apesar de inadmissível, os consultores são unânimes: nada de barraco. “Reclamo educadamente com o próprio fura-fila e, se não resolver, procuro o gerente do local”, diz Célia Leão. “Não combata a falta de educação da mesma forma”, sugere Fábio.


Beijo gripado

Se estiver muito doente, evite ao máximo. Desculpe-se e diga que está gripado. “Não beijo nem meu marido nessa situação”, conta Célia. “Se for o começo da gripe, não precisa ser tão radical”, pondera Fábio. Muitos recomendam cumprimentar com um aperto de mão, mas os médicos alertam que também podem transmitir vírus, já que são usadas para assoar o nariz.

No flagra
“Peguei o namorado de minha amiga com outra em um restaurante. O que fazer?” Nada, finja-se de morta. “Não conte nem se for sua melhor amiga”, aconselha Célia. Isso porque é difícil saber quais são os acordos dos casais, fora que, se fizerem as pazes depois, é você que vai ficar em maus lençóis, e eles numa boa. Fábio lembra o sábio ditado popular: “Em briga de marido e mulher não se mete a colher”.

Benhê
Deixe os apelidinhos amorosos reservados a quatro paredes. “Cá entre nós, são ridículos fora de contexto”, diz a consultora de etiqueta. E quem pensa que está passando aos outros a impressão de intimidade do casal, fique esperto: “Essa atitude transmite inadequação e imaturidade”, conclui ela. “É o mesmo clima desagradável de dois profissionais que falam na sua linguagem técnica sem se importar com os demais ouvintes da roda”, exemplifica o consultor.

Zíper aberto
Aviso ou não aviso? Primeiro, pense: você gostaria de passar pelo constrangimento de desfilar por aí de zíper aberto? Claro que não. Então faça pelos outros o que gostaria que fizessem por você: “Avise, olhando nos olhos da pessoa”, ensina Célia. “Evite usar códigos e mímicas, que só pioram a situação. Apenas fale e resolva a situação de forma natural”, diz Fábio.

 Namoro no trabalho
Aqui vale a adequação da famosa frase: “Amigos, amigos; negócios à parte”. Deixe para depois do expediente qualquer assunto fora do âmbito profissional. Ciúmes, beijinhos, comentários de duplo sentido devem ser evitados e, se possível, não conte aos colegas sobre o namoro. Antes de começar um relacionamento no local de trabalho, vale refletir: “Será que ao terminar o namoro vou continuar a relação de trabalho?”. Pondere se vale a pena começar.

Barulho no vizinho tarde da noite
A consultora de etiqueta Célia Leão só usa Havaianas e Crocs em seu apartamento para não fazer barulho. “Certa vez, meus vizinhos deixaram um pacotinho de chocolates e um bilhete se desculpando por uma festa que iriam dar à noite”, conta. Enfim, a civilidade é o mote desse tipo de relacionamento, já que você provavelmente vai cruzar com seus vizinhos algum dia. E, se o barulho for muito alto e fora de hora, apele ao síndico.

Visita ao recém-nascido

Evite pegar o bebê no colo e dar beijinhos, pois ele acabou de vir ao mundo e ainda não desenvolveu seu sistema imunológico. “O bebê não é um brinquedo”, lembra Fábio. A visita deve ser rápida, de no máximo 15 minutos na maternidade. Em casa, só apareça se for amigo íntimo. Caso contrário, lembre que a mãe pode estar inchada, cansada e se adaptando à nova rotina. Se for, permaneça no máximo por meia hora.

E aí, vocês concordam?

Beijão

 

 

 

Deess-code ainda existe?

Yah! Hoje é dia de participação masculina no blog!!!

Pessoal, lendo o livro ‘Alo, Chics!’ da Gloria Kalil me deparei com um texto excelente dela, falando sobre o dress-code: a indicação de traje para se utilizar em determinado evento.

Isso é o terror de muita gente. Chega um convite de casamento e já começa o desespero pra saber com-que-roupa-eu-vou. Vai dizer que não é?!

Glorinha é expert em etiqueta contemporânea, por isso, coloco abaixo o texto dela. Caso vocês tenham alguma dúvida quanto a isso, me mandem aqui nos comentários que eu vou aconselhando 😉

Li outro dia num artigo de uma colunista de moda que não se usa mais colocar dress-code, ou seja, a indicação do traje, num convite impresso; que isso é coisa do passado e que agora cada um vai como quer.

Pois devi dizer que discordo totalmente. O dress-code é uma indicação preciosa sobre o tom do evento para o qual estamos sendo convidados. É muito importante saber se o jantar que o chefe do marido está dando exige que ele vá de terno e gravata ou com roupa casual; émuito importante saber se a festa de aniversário de uma pessoa não muito íntima será um baile em que as mulheres vão estar de longo e de joias, ou se uma balada em que jeans e shorts serão as roupas mais adequadas.

Quem vai esclarecer essas dúvidas é o dress-code. Convites sem essa informação dexam as pessoas na insegurança e na boca do erro. Nada pior do que estar vestido demais ou de menos em qualquer ocasião.

Os códigos de roupas mais comuns são:

  • Traje esporte: significa uma roupa descomplicada: as mulheres podem esquecer o salto alto e ir de vestido leve ou com calça esportiva. Para os dois vale um jeans que não seja estropiado. O simples fato de o convite ser impresso, porém, revela um grauzinho de formalidade. Não é para aparecer de bermuda e chinelo como se estivessem indo num churrasco na cada do cunhado.

Traje esporte

 

  • Esporte fino ou traje passeio: o grau de formalidade subiu: não há necessidade de gravata, mas o jeans deve ser substituído por uma calça de brim ou gabardine. Em alguns casos é a hora do blazer sobre camisa, sem gravata. As mulheres devem usar uma sandália de salto, um vestido mais caprichado.

Traje esporte fino

 

  • Traje social ou social completo ou ainda passeio completo: é terno e gravata para os homens (terno claro para o dia e escuro para a noite) e vestido de tecidos mais nobres para as mulheres (as sedas, as musselinas, os georgettes, os bordados).

Traje social

 

  • Black-tie: aí é o smoking para os homens e vestidos de baile para as mulheres.

Black-tie

 

Atualmente é comum receber convites com outras nomenclaturas: “venha bonitinha”, “venha fashion”, ”venha chique”, etc. Isso significa que é para ir com uma roupinha de moda, mas sem grandes formalidades: valem os jeans, as blusas bonitas, camisetas customizadas ou diferenciadas; vestidinhos curtos com sapatos maravilhosos; laçarotes engraçados nos cabelos; acessórios interessantes e cheios de personalidade.

Espero que tenham gostado!

Beijão,

Cayo Vinícius

 

 

 

Visão Masculina

Olá leitchoras e bloguetes,

Como vocês estão???

No meu primeiro post por aqui, a Cláudia Barreto, do Trend Total, deu uma sugestão que eu achei muito bacana: o que os homens acham de mulheres com tatuagem e que falam palavrão?

Achei interessante porque realmente é uma dúvida que sempre está por aí. Vou comentar um pouco usando a minha opinião.

TATUAGEM

As tattoos são formas de se expressar, de levar uma recordação pra vida toda. Assim como os piercings, é de se esperar que elas tragam um pouco da personalidade da pessoa ali representada.

Eu particularmente gosto. É super bacana quando alguém te mostra uma tatuagem e conta o que aquilo representa.

Poréééééém, sempre precisa ter uma noção né gente?!

Tatuar nome de namorado/noivo/marido é o Ó! Além de ser uma urucubaca pro relacionamento ir por água abaixo. Quer algo que represente vocês dois? Pense no simbolismo: dois pássaros ou corações, um trecho da música de vocês e por aí vai…

Quanto ao desenho representado, se preocupe somente com que ele seja a sua cara e não em que os homens vão pensar. O homem precisa gostar de você e do seu estilo. Se você é mais romântica, ela vai gostar da sua tattoo de flores. Se você é mais rock na veia, ela vai gostar da suas caveirinhas do mesmo jeito! E se ele não gostar, parte pra outro porque tem quem goste!

FALO MUITO PALAVRÃO. E AGORA?

Aí o bicho pega!

Entendo que existem situações e mais situações e nem sempre nós conseguimos nos controlar. Sempre escapa aquele xingamento pra mãe do motorista que te deu uma fechada no trânsito…

Porém, todavia, entretanto, usar palavras de baixo calão – os PALAVRÕES – é feio! Tanto pra mulher quanto pra homem.

A filha da própria Dercy Gonçalves, autoridade máxima no uso desse vocabulário, disse em uma entrevista que a mãe não falava e sempre proibiu todos de usarem os palavrões em casa. A Dercy que vivia xingando era uma personagem que chamava atenção.

Portanto meninas, tentem sempre se segurar antes de soltar alguma *&#$%@!

E aí, concordam ou discordam comigo?

Beijo, me liga me segue no Instagram -> @cayovirtual

Churrasco – e agora?

Com muito carinho, escrevo aqui a minha primeira coluna sobre etiqueta social! Espero que vocês gostem!

O tema de hoje  é algo muito comum. Final de semana vem logo logo e sempre tem convite pra um churrasco. Reunir os amigos, jogar conversa fora e botar a fofoca em dia é sempre uma delícia, mas vale tomar alguns cuidados que vão fazer a reunião ser muito mais prazerosa.

– O que levar?
É educado perguntar para os anfitriões se você precisa levar alguma coisa. Mas é pra perguntar com empolgação, nada de fazer aquela voz de má vontade! Mesmo se disserem que não, fica chato chegar de mãos vazias. Se o dono da festa for um amigo íntimo, leve um pouco de carne ou uma caixinha de cerveja. Se vocês não forem tão chegados ainda, fica bonito levar uma flor para a anfitriã ou um kit caipirinha pra animar o pessoal.

– Roupas
Churrasco é algo bastante informal. Não precisa ir usando salto 15, vestido piriguete e maquiagem pesada. Se arrume sim, mas vá confortável. Dica: não esqueça que um belo sorriso no rosto é o melhor acessório!

– Organização
Se é você quem está organizando, pense em tudo:

  • Faça uma segunda opção pra quem não come carne. Legumes grelhados sempre são um sucesso;
  • Fique de olho no gelo, substitua sempre que necessário. Ninguém merece bebida quente…
  • Calcule cerca de 300g de carne por pessoa adulta. Assim não falta e nem sobra carne.
  • Sobremesas mais leves como frutas e sorvetes são sempre bem vindas.
  • Tente manter uma sincronia. Ninguém gosta de ficar esperando aquela carne que não fica pronta nunca.
  • A música serve pra animar a galera e melhorar o clima, mas pense sempre em seus vizinhos. Nada de som no último e nem de barulho até tarde da noite.

Dica 2: se você mora em apartamento, quer receber os amigos e sabe que vai fazer um pouco de barulho, mande um mimo como uma caixa de bombons ou um vinho junto de um bilhetinho para os vizinhos mais próximos dizendo algo como “Querido vizinho, decidi me adiantar e já lhe entregar um presente e um pedido de desculpas… Amanhã farei uma festinha em casa e pode haver um pouco de barulho. Conto com sua compreensão. Anita, apto 300”. É bonito e chic!

Para ser elegante, não é preciso ter rios de dinheiro. Educação e cultura ajudam muito!

Por hoje, é isso. Fico aguardando os comentários de vocês e sugestões para a próxima coluna!

Beijos,

CV

Tô chegando!

Olá meninas.

Tudo bem com vocês?

Meu nome é Cayo Vinícius, tenho 20 anos e estudo Relações Públicas. Sou amigo da Caren Sales, digníssima dona deste blog, que me convidou para contribuir aqui com um olhar masculino.

“Mas como assim? O blog é para mulheres!”. Pois bem, é isso mesmo. Eu vou ajudar vocês a darem um up nos namorados, irmãos, amigos, peguetes ou amores platônicos. A ideia é postar aqui algumas dicas sobre o que fica legal, o que pega bem e quais são as tendências pros mocinhos se vestirem.

E já que quem tá na chuva tem que se molhar, pretendo manter uma outra coluna por aqui: a de etiqueta contemporânea. Neste post, que inicialmente será semanal, vamos discutir algumas regrinhas de comportamento, como se livrar daquela saia justa, como recusar convites e todas essas situações em que a gente sempre tem dúvida de como resolver elegantemente.

Quero bastantes comentários nos meus posts, hein?!

Inclusive, acho super bacana vocês me dizerem quais são as dúvidas e sugestões de temas para abordar. Prometo que responderei todas vocês!

Um beijão,

CV